A Associação dos Amigos do Arquivo Distrital do Porto promove, em parceria com o Arquivo Distrital do Porto, um curso livre de Genealogia, a realizar nos dias 8, 15, 22 e 29 de maio, segundas-feiras, entre as 14h00 e as 16h30.

O curso, a ser ministrado pelo formador Ricardo Bessa Teixeira, tem por objetivo “ensinar a organizar uma pesquisa genealógica, nomeadamente a pesquisa de fontes, organização de registos, tratamento e recolha da informação”. Este curso pretende ainda “dotar os formandos dos instrumentos necessários para eles próprios fazerem a pesquisa das suas raízes familiares através dos documentos de arquivo”.

Com uma componente prática muito grande, todos os exercícios apresentados serão exemplificados com a busca em linha, nas fontes disponíveis via web.

 

Informações e inscrições: Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

N.º mínimo: 15 | n.º máximo: 22

Valor da inscrição: 50 € (não sócios do AAADP) | 40 € (sócios do AAADP)

 

Sobre o Formador

Ricardo Bessa Teixeira é professor desde 1997. Os seus principais interesses de investigação centram-se no domínio da Genealogia, História de Família e História Local.

Investigador sócio da Associação Portuguesa de Genealogia (APG) e do Instituto de Genealogia e Heráldica da Universidade Lusófona do Porto.

Autor de inúmeros trabalhos de investigação na área da genealogia/história de família com uma dispersão geográfica de pesquisa internacional.

Formador de 17 cursos livres de Iniciação à Genealogia, ministrados entre outubro de 2013 e novembro de 2017.

Para assinalar o DIA INTERNACIONAL DO LIVRO INFANTIL 2017, que se comemora a 2 de abril, a DGLAB convidou o ilustrador João Fazenda, vencedor do Prémio Nacional de Ilustração do ano passado, para ser o autor da imagem do cartaz.
O cartaz impresso vai ser distribuído por Bibliotecas Municipais da RNBP, livrarias infanto-juvenis e Arquivos Distritais. A sua imagem em grande formato para impressão pode ser descarregada no site do Livro/DGLAB, em http://livro.dglab.gov.pt/…/DIA-INTERNACIONAL-DO-LIVRO-INFA…
A mensagem do IBBY internacional, este ano da responsabilidade da Rússia, pode ser encontrada em http://www.ibby.org/…/act…/international-childrens-book-day/ .
Segue uma possível tradução em português do texto do escritor Sergey Makhotin, bem como o cartaz do ilustrador Mikhail Fedorov, que pode ser descarregado em grande formato no link http://www.ibby.org/filea…/user_upload/poster_02.04.2017.pdf

Tradução de Mª Carlos Loureiro a partir da versão inglesa de Yana Shvedova:

"VAMOS CRESCER COM O LIVRO!
Na minha primeira infância, gostava de construir casas com pequenas peças e toda a espécie de brinquedos. Usava muitas vezes um livro ilustrado a fazer de telhado. Nos meus sonhos, entrava na casa, deitava-me na cama feita com uma caixa de fósforos e olhava para cima, para as nuvens ou para as estrelas do céu. A escolha dependia da ilustração que preferia na altura.
Por intuição, segui as regras de vida das crianças que procuram criar um ambiente seguro e confortável à sua volta. E o livro infantil ajudou-me muito a atingir este objetivo.
Depois cresci, aprendi a ler, e o livro, na minha imaginação, começou a assemelhar-se mais a uma borboleta, ou mesmo a um pássaro, do que ao telhado de uma casa. As páginas do livro pareciam asas que batiam. Era como se o livro, deitado no peitoril, quisesse sair pela janela aberta em direção ao desconhecido. Segurava-o com as mãos e começava a lê-lo, e o livro ia ficando cada vez mais calmo. Então eu próprio voava para outras terras e novos mundos, alargando o espaço da minha imaginação.
Que alegria ter na mão um novo livro! De início, nunca sabemos sobre o que é que ele fala. Resistimos à tentação de saltar para a última página. E como o livro cheira bem! É impossível distribuirmos o seu cheiro pelos vários elementos que o compõem: tinta, cola… não, é impossível. Existe um cheiro particular no livro, um cheiro único e excitante. As folhas encontram-se coladas, como se o livro não tivesse ainda acordado. E ele só acorda quando começamos a lê-lo.
Continuamos a crescer, e o mundo à nossa volta torna-se mais complicado. Enfrentamos questões a que nem os adultos sabem responder. No entanto, é importante partilhar dúvidas e segredos com alguém. E aí o livro volta a ajudar-nos. Muitos de nós terão um dia pensado: este livro fala sobre mim! E a personagem favorita parece ser igual a nós. Tem problemas semelhantes, e resolve-os com dignidade. E há outra personagem que não é igual a ti, mas tu gostarias de seguir o seu exemplo, de ser tão corajoso e desembaraçado quanto ela.
Quando há rapazes e raparigas que dizem “Não gosto de ler!”, isso faz-me rir. Não acredito neles. Comem gelados, jogam jogos e veem filmes interessantes. Dito de outro modo, gostam de se divertir! É que a leitura não serve apenas para desenvolver sentimentos e personalidades, ela é, acima de tudo, um prazer.
É sobretudo com essa missão que os autores de livros para a infância escrevem os seus livros.

Sergey Makhotin"

 

Realiza-se no próximo dia 3 de março (sexta-feira), a partir das 17h00, uma conferência subordinada ao tema “Quotidianos e Sociabilidades Portuenses no contexto da Grande Guerra – Elementos para uma contextualização dos anos de 1916 e 1917”, com a moderação de Maria João Moreira (Escola Superior de Educação do Porto) e a participação, enquanto oradores, de Alexandra Anjos (Museu Militar do Porto), Sónia Gomes (Arquivo Distrital do Porto) e Sérgio Veludo Coelho (Escola Superior de Educação do Porto).

A iniciativa, que já contou com uma edição em 2015 relativamente ao ano de 1915, pretende assinalar o centenário da Primeira Guerra Mundial, que decorreu de 28 de julho de 1914 até 11 de novembro de 1918, e resulta da colaboração entre o Arquivo Distrital do Porto, a Escola Superior de Educação/Instituto Politécnico do Porto e a Associação de Amigos do Arquivo Distrital do Porto.

Fará ainda parte deste evento um percurso expositivo com documentos originais da época.

A conferência e a mostra decorrem do trabalho desenvolvido pelas alunas Bruna Vieira e Catarina Pereira, em contexto de estágio curricular realizado no ADP, e estará patente ao público até 24 de março, entre as 9h30 e as 16h00, de segunda a sexta-feira.

Excecionalmente, a mostra poderá ainda ser visitada no dia 25 de março (sábado), entre as 10h00 e as 16h30, na sequência da participação do ADP nas comemorações do Dia Nacional dos Centros Históricos. A entrada é livre.

 

Porto, 20 de fevereiro de 2017

  

Comunicamos que os serviços do ADP estarão encerrados no dia 28 de fevereiro de 2017 (terça-feira de Carnaval).

Mais, informamos que a tolerância de ponto, nesse dia, foi concedida, nos termos do Despacho n.º 1669/2017 - Diário da República n.º 38/2017, Série II de 2017-02-22, aos trabalhadores que exercem funções públicas nos serviços da administração direta do Estado, sejam eles centrais ou desconcentrados, e nos institutos públicos.

Para mais informações, clique aqui

Porto, 22 de fevereiro de 2017

 

Já se encontra fechado o calendário para 2017 do projeto “Consultório no Arquivo” e, por conseguinte, abertas as inscrições para as várias sessões individuais e coletivas distribuídas ao longo do presente ano.
Mais uma vez, o “Consultório no Arquivo” privilegiará o atendimento personalizado e gratuito. As consultas individuais terão a duração máxima de 60 minutos e incidirão sobre casos concretos e pontuais, sempre com a presença de profissionais de arquivo e de conservação e restauro. As sessões coletivas incidirão sobre a partilha de experiências e informações e poderão ser ou não temáticas. 
As situações mais complexas e que exijam uma intervenção mais sistemática serão orientadas para o serviço de apoio técnico/consultoria, disponibilizado, nos termos da Lei em vigor, pelo Arquivo Distrital do Porto.

Porto, 10 de janeiro de 2017

SCROLL TO TOP